A gravidez é, sem dúvidas, um grande momento na vida das pessoas. Muitos sonham em ter filhos e fazem inúmeros planejamentos, mas se uma gravidez programada já traz inúmeras dúvidas às cabeças, que dirá então quando a notícia da gravidez pega a todos de surpresa? Este artigo visa ajudar tanto as pessoas que vêm há meses ou anos planejando tudo para o tão aguardado momento, como também aquelas que, de uma hora para a outra, descobrem que serão pais! Se você for mulher e estiver se perguntando estou grávida, e agora?”, confira esta matéria e saiba como lidar com a situação.

Estou Grávida, e Agora?

Assim que você realizar o teste de gravidez e ele der positivo, é importante que você marque uma consulta com o médico ou ginecologista, para que o seu pré-natal tenha início. Caso você tenha o seu médico de confiança, consulte-o. Já se você não tem algum, procure conversar com mulheres que já tiveram filhos, pois elas podem te passar indicações importantes. Também procure escolher um obstetra que te passe segurança e confiança, uma vez que o futuro do seu bebê já começa a ser definido neste momento.

É logo na primeira consulta que o médico realiza um detalhado levantamento histórico da saúde da mãe, bem como da sua família. Portanto, é comum que diversas perguntas sejam feitas, incluindo sobre o marido e antecedentes das doenças genéticas. Esta fase propicia que a mulher saiba quais são as chances de sua gestação apresentar problemas. O exame completo da gestante também é importante para tal finalidade.

A partir de então, a gestante passa a ter uma rotina com diversas consultas, possibilitando que algumas coisas sejam verificadas, como o peso e a pressão arterial da mulher, bem como o tamanho da sua barriga e a verificação dos batimentos cardíacos do feto. Qualquer queixa que a mulher tiver deve ser apresentada ao médico.

gravidez

A quantidade de exames que são solicitados logo na primeira consulta, apesar de grande, é normal. A gestante deve passar por uma bateria de exames de sangue de rotina a cada período de três meses, uma cada cada trimestre da gravidez. Ao longo do tempo, outros exames são realizados, para que possíveis doenças genéticas sejam rastreadas, bem como sejam identificadas as possíveis doenças que podem se desenvolver durante a gestação. O exame ginecológico também permite que a provável data do nascimento do bebê seja identificada. O exame de citologia, popularmente conhecido como Papanicolau, também é realizado, caso as consultas de rotina da gestante não sejam recentes.

Lembre-se: a gravidez não é uma doença, exige muitos cuidados e inúmeras visitas ao médico ao longo dos 9 meses da gestação. Não há razão para que você tenha medo! As consultas, os exames e as análises médicas são fundamentais para que todos saibam como anda a gestação.

A Agenda Médica da Mulher Grávida

Na consulta inicial, uma série de análises clínicas é feita, a fim de que a saúde da gestante e do bebê seja protegida. Confira quais análises clínicas são feitas:

– Análise do sangue: ela serve como um teste para que se saiba se a gestante sofre ou é imune às doenças como HIV, sífilis, toxoplasmose, rubéola e hepatite B. A análise do sangue também determina ou confirma o grupo sanguíneo, bem como o fator Rhesus. Através dele também é feito o rastreio do diabetes e das aglutininas irregulares.
– Análise da urina: ela detecta a possível presença de infecção ou de proteína no sangue.

A consulta inicial da gravidez, seja no hospital ou no centro de saúde, também pode ser considerada uma visita administrativa, já que nela a mulher deve declarar de que maneira engravidou, permitindo assim que alguns benefícios sejam usufruídos, como, por exemplo, a isenção das taxas moderadoras. É no hospital que a baixa também é autorizada, caso seja necessário que a mulher permaneça em repouso antes do parto. Um médico particular também pode fazer isto.

As Demais Consultas no Pré-Natal

Geralmente após a primeira consulta, uma média de 6 consultas médicas é feita ao longo da gestação. A partir do segundo trimestre da gravidez, as consultas passam a ser frequentes até o final da mesma. Estas consultas de rotina verificam coisas como pressão arterial, peso, ritmo cardíaco da gestante e do bebê.

pre-natal

A segunda consulta, geralmente feita entre as 11ª e 13ª semanas da gravidez, o médico orienta que o rastreio bioquímico seja feito, a fim de que seja avaliado o risco de possíveis doenças, como a Trissomia 21. A Direção-Geral de Saúde orienta que as seguintes avaliações sejam realizadas durante a gestação:

– Avaliação no segundo trimestre: ela testa a rubéola e a toxoplasmose, caso a gestante não seja imune. Nela, também são feitas análises mais completas, como a análise de urina (que detecta qualquer infecção) e o hemograma completo. Nesta fase, a mulher realiza ainda a prova de tolerância à glicose oral, ingerindo 75 gramas de açúcar e tendo o sangue coletado no momento, e ao fim de uma e duas horas.

– Avaliação no terceiro trimestre: nela, o hemograma completo é feito novamente, assim como o teste de hepatite B (caso a gestante não seja imune), toxoplasmose, HIV e sífilis.
– No final da gravidez: no período que compreende a 35ª e a 37ª semana da gestação, é feito o rastreio do Streptococcus.

Ecografias Obrigatórias

Entre a 11ª e a 13ª semana da gravidez, é realizada a primeira ecografia, permitindo assim que os membros do bebê sejam vistos, e muitas vezes o sexo seja identificado. A data da concepção, bem como a provável data do parto, são determinadas. Duas mediações importantes também são realizadas: o comprimento crânio-caudal e a espessura da prega da nuca. Caso esta última seja maior que 2mm, é recomendado que a amniocentese seja feita.

Já entre a 20ª e a 22ª semana da gestação, é feita a segunda ecografia, onde o médico pode determinar o sexo do bebê, bem como identificar possíveis problemas no coração e realizar a avaliação morfológica completa.

No período que compreende a 30ª e a 32ª semana da gravidez, é possível que o crescimento do bebê seja verificado, bem como a localização da placenta.

Amniocentese

O exame da Amniocentese consiste-se na retirada de um pouco do líquido amniótico por meio de uma fina agulha que penetre o abdômen da gestante. Este teste é recomendado principalmente nos casos em que os testes da translucência da nuca ou bioquímico não apresentem resultados favoráveis, assim como nos casos de mulheres grávidas com idades acima dos 35 anos. Deste modo, é possível que a possível existência de diversas doenças seja identificada. O teste não é doloroso, e logo após feito, é aconselhado que a gestante permaneça em repouso por um ou dois dias. Os resultados saem após duas semanas.

pre-natal

Ultrassom

Um dos momentos mais emocionantes da gravidez, a ultra-sonografia é recomendada para todos. Uma gestante com boa saúde, considerada de baixo risco, pode realizar quatro exames de ultra-som ao longo da gravidez. O primeiro é feito logo quando a mulher descobre estar grávida, uma vez que ele confirma a idade gestacional, bem como se o embrião localiza-se dentro ou fora do útero (gravidez ectópica). O segundo exame deve ser feito entre a 11ª e a 14º semana da gestação, a fim de que o desenvolvimento do embrião seja observado, bem como a nuca e o osso do nariz sejam medidos, já que as resultados podem indicar problemas genéticos, como a Síndrome de Down.

Confira este vídeo e veja quais são os cuidados com a mãe e o bebê:

Estou Grávida, e Agora?
5 (100%) 2 votos

Comente